30 anos 

30 anos. Há trinta anos eu chegava neste planeta para viver esta vida (particularmente, que eu me lembre, minha melhor vida). Aqui estou, com tanto pra contar que nem sei por onde começar. Prometo resumir.

Primeiro só me resta agradecer, por estar aqui e agora. Pela vida ser sempre uma surpresa e me proporcionar a todo o tempo milhões de aprendizados e nos últimos anos com bastante compreensão e aceitação. Merci (agradecendo em francês que é o país que estou agora). 

Confesso que uma das coisas que mais fiz na vida foi amar, agradeço aos céus por sempre ser intensa no que amo e onde estou, são poucas as pessoas que se permitem ser assim.

Já morei aqui e aculá, já andei por tantos lados. Perdi um ente querido e muito próximo quando eu ainda era muito pequena, nem entendia a vida ainda. Tenho uma irmã linda, especial que é um dos maiores presentes desta jornada. Tenho duas mães. Tenho uma família enorme que me permite ter parentes em quase todas as partes do globo. Tenho uma mãe com quem mais aprendo, apesar de só compreender isso agora. Já sofri por amor, de doer o corpo físico, uma dor que não se explica só se sente. Já deixei partir com serenidade no coração. Tive os melhores companheiros que uma mulher poderia ter.

Já morei numa caverna. Já plantei e colhi meu alimento. Tomei coragem e larguei uma vida aceitável socialmente, pra viver um sonho, pra viver uma verdade. Já chorei por longos dias sem saber o que fazer e sem conseguir parar.

Já viajei por dois anos de carona. Jejuei. Finge (tantas vezes) não entender o que a pessoa estava falando só pra não ter que dar um fora. Tenho amigos de alma e muitos outros que venho construindo.

Dormi em beira de estrada. Dormi em casa de estranhos. Sorri em tantos idiomas. Fingi entender tantos outros, pra não fazer a pessoa repetir a mesma coisa mil vezes (quem nunca?). 

Morei junto tantas vezes. Fiquei em silêncio por inúmeros dias. Trabalhei em fazendas orgânicas. Morei em templo Hare Krishna, me iniciei como devota de Krishna. Já desconfiei da existência de Jesus. Fui anarquista. 

Morei por longos anos, onde tenho muito gratidão, no Rio de Janeiro. A cada acolhida e amigos daquela cidade, meu coração eu vos dedico. 

As flores que perfumaram e perfumam meu caminho, só amor. Aos anjos de minha vida, só luz.

Já plantei árvores. Já vi árvores crescerem e darem frutos. Já vi passarinho nascer, já vi gente nascer. Amei, amo e amarei. Revolucionei vidas. 

Já pedi demissão. Vi atardeceres surreais. Viajei sem dinheiro. Conheci o Salar do Uyuni, Machu Picchu e tantos outros lugares que eu sequer supunha que conheceria. Viajei em uma kombi trabalhando com o que mais amo nesta existencia; libertação de todos os seres, de cada indivíduo.  

Vim pra Europa, algo que, para mim, era completamente impossível. 

Hoje, 25 de setembro, primavera no hemisfério que eu nasci, estou na Europa. Há meses planejava, que neste dia, estaria andando no caminho de Santiago de Compostela. Não está sendo como planejei, mas estou aqui em Paris cozinhando com vários chefes do mundo todo, com pessoas lindas tentando mudar o mundo através do alimento. Ah, e tudo pago num hotel. 👌🏻

Nesta existência, o universo, me presenteia o tempo todo. Sempre acabo dando “sorte” com alguma coisa que com amor pedi a ele (ao universo) seja conhecendo gente que me dá casa, trabalho ou simplesmente compartilha sua vida comigo de alguma forma.

Muita gente me pergunta como esta vida é possível. Sinceramente, não sei dizer como…só sei que faço tudo com muito amor, tudo com muita verdade e com muito aprendizado.

Sinto muito se feri alguém em algum momento. Me perdoe, eu também estava aprendendo.

Agradeço ao universo pela oportunidade de fazer algo que faz meu coração vibrar e me trazer muita coisa boa. Estou feliz o tempo todo? Não. Tenho muitos momentos de inconsciência, que hoje são vistos com um certo carinho, de aprendizado. Não tenho medo? Muitos. Mas, também os observo com todo amor e transformo. Transformo no que sou hoje, no aqui e agora, neste momento.

Agradeço infinitamente aos céus e a toda a força pela oportunidade desta vida, me auto conhecer, me auto transformar, curar meu útero, ter consciência do peso que posso carregar na vida, aprender a dizer não, reconciliar com minhas raízes, respeitar a mãe terrena, cuidar do próximo, respeitar os animais e ser um agente transformador social, político e econômico. 

Se há algo que tenho muito carinho é pelo veganismo. Mas sei que ele é o primeiro passo de uma longa caminhada. Gratidão a oportunidade de conhecer o alimento cru e poder me curar com ele e com todo o universo. Gratidão por cada dia compreender as relações e perceber o quanto é importante também curá-las. Gratidão por ter o sol como guia e a lua como irmã.

Gratidão por ter o mar como casa e sempre voltar. Gratidão aos apus (montanhas) pelo conhecimento. Gratidão as plantas sagradas e de poder transformador. Gratidão aos animais e a tudo que compõe esta vida. 

Nos perdoe por todo o mal causado a nossa casa e a vocês (animais) de fato não sabemos o que estamos fazendo, apenas repetimos padrões que já estão sendo rompidos.

“No tengo todo calculado ni mi vida resuelta solo tengo una sonrisa y espero una de vuelta.”

Um brinde aos meus longos e profundos trinta anos, a cada aprendizado e a cada compreensão.

Xêro em todos desde Paris e gratidão por cada um que foi, vai e irá em alguma oficina, palestra ou acompanha meu trabalho de alguma forma ele só segue porque vocês permitem. 

Merci. Au ravoir. 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s