Diário de uma mochila – Norte Argentina / parte 1 – Cafayate

Faz um ano e meio que minha viagem começou e só agora, com meu computador, estou podendo colocar os pingos nos “is” e passar dicas “mais profundas” pra vocês.

Decidi abrir uma página no facebook (Toda ida tem sua volta) para poder colocar,melhor,só coisas de viagens. E no La chica do face, deixar mais para alimentação. Quanto ao blog, mantenho este apenas.

Decidi viajar de um dia pro outro acompanhando uma americana que tinha acabado de conhecer e ela ia pra Salta (eu nunca tinha ouvido falar) na Argentina. Compramos uma passagem, eu só de ida. Arrumei mochila e sai com a ideia de voltar em um mês….but…

Fiz algumas postagens sobre Salta e como tudo começou (aqui: https://lachicavegana.wordpress.com/2014/04/30/vegan-pelo-mundo-salta-vegana-3/ e aqui o outro https://lachicavegana.wordpress.com/2014/04/26/vegan-pelo-mundo-salta-argentina/) não vou me estender muito.

Decidi conhecer Cafayate e fiquei encantada. En Cafayate o amigo do meu couchsurfing me hospedou em sua casa e daí fui conhecendo gente e todas as vezes que voltei fui pra casa de alguém que me convidou.

Ao total foram 3 meses em Salta. Comecei a trabalhar num restaurante vegano e acabei ficando. Comparti com gente linda o tempo todo.

Conheci dois seres en Cafayate, Lito y Tino duas figuras que mudaram minha forma de ver os seres, em especial o morador de rua e o “doido”.

O Alejandra que me hospedou na sua casa linda e me deixou ficar o tempo que desse na telha.

Sua casa era perto da Quebrada de las conchas, que lugar. Não se paga e vale muito a pena. Outro lugar é a garganta del diablo, el mirador de las cruces, el anfiteatro, las lomas de arenas, são lugares mágicos.

Visitei as vinícolas acompanhada do Luis que conheci pedindo carona e ele tem uma empresa de internet e coloca pelas bandas daquela área. Conheci quase todas e tudo de grátis rsrs. Recomendo.

Alugar uma bike e sair por lá conhecendo é uma demais também. Conheci o dono de uma locadora de bike e acabei pegando emprestada sem pagar nada. rsrs

Saída da Argentina – fronteira um

Depois de três meses, meu visto terminou e eu sai do país rumo a Bolívia. Sai por Villazón.

Pedir carona na Argentina é SUPER fácil, assim que se tiver com tempo recomendo. Tudo isso fiz pedindo carona. Mas, dessa vez fui de ônibus. A passagem de Salta para a fronteira é algo como 352 pesos argentinos.

A fronteira está “aberta” desde às 6h da manhã. Nessa zona, faz muuuuito frio.

Saída da Argentina – fronteira dois

Deixei muitas coisas materiais e muitos amigos em Salta desde a última vez que sai do país então desta vez, um ano depois, voltei para abraçar os amigos e recuperar um par de coisas. Dessa vez entrei por Yacuiba. Os valores de bus são de Salta a Pocitos (fronteira) é exatamente 352 pesos argentinos e só a Veloz del Norte ou a Flecha bus fazem esse trajeto e saem quase os mesmos horários e com os mesmos preços. Depois é só cruzar a fronteira a pé mesmo e passar pro lado da Bolívia que explicarei em outro post.

Lugares para comer VEGANOS em Salta:

Atualmente existem dois lugares veganos/vegetarianos para comer.

  • Vaikuntha 

Este restaurante abriu agora a pouco, é a coisa mais divina e gostosa do mundo. TUDO VEGANO. A galera é linda e super atenciosa. Os preços variam muito. De entradas por 45 pesos argentinos para cima.

Um dos donos é amigo de Krishna, então muitas vezes os pratos são oferecidos antes de ir para mesa do cliente. O lugar é super lindo. Com decorações de todas as partes, meio rústico numa casa super fofa. Alguns dias tem música ao vivo, lindo de ir.

Aqui tá o facebook deles: https://www.facebook.com/profile.php?id=100008489760067&fref=ts

  • Chirimoya

Este restaurante eu conheci no começo da viagem. E fiz um post (links acima) hoje não sei como está, mas também era muuuuuito gostoso. Vale conferir também. Na época eles usavam mel.

Aqui tá o facebook deles: https://www.facebook.com/chirimoya.vegetariano?fref=ts

O que fazer: 

Salta é uma cidade super fofa. A praza principal é linda. Passear pela peatonal Florida, tomar um café no final da tarde na praça principal, subir o bondinho ou a pé e ver todo o visu da cidade, passear pelo convento e ir dar uma andada pelas livrarias da cidade são boas pedidas.

Dia de domingo tem uma feirinha bem legal na rua Balcarce. Que por sinal essa rua a noite é babilônia

Dia de sábado tem uma em Vaqueros (cidadizinha perto de Salta) que disseram que tá linda também.

Vale a pena conhecer San Lorenzo, que é só pegar um bus (3,25 pesos) e em 20 minutos cê tá lá. Fazer uma caminhada pela Quebrada é lindo.

Fora os centros de cultura né?! Museus, casa da cultura e essas coisas.

  • Cafayate

Como chegar:

do terminal de ônibus de Salta saem todos os dias e custa 90 pesos argentinos. Lembrem que é possível pedir carona e chegar até lá sem gastar nada. É só ir para a ruta 68 e levantar o dedinho.

Onde comer:

não tenho dicas pois comia em casa. Mas, na praça principal tem vários restaurantes que certamente dá pra pedir alguma coisa vegana.

O que fazer:

Quebrada de la concha. Anfiteatro. Carganta del diablo. Mirador de las tres cruzes. Lomas de arena. Vinícolas.  Alugar uma bike e sair por aí…

DCIM100GOPRO
uma das vinícolas em Cafayate
DCIM100GOPRO
uva fermentando
DCIM100GOPRO
Cafayate
DCIM100GOPRO
mirante tres cruzes
DCIM100GOPRO
mirante tres cruzes – Cafayate
DCIM100GOPRO
castelos Cafayate
DCIM100GOPRO
garganta del diablo
DCIM100GOPRO
lomas – Cafayate

Captura de tela 2015-06-16 às 21.43.09

Lito (sentado) Tino (de pé, passando) em minha memória e em meu coração

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s