A felicidade não se compra

1039518_10151437026081691_888817002_o

Desde que publiquei o post sobre meu novo estilo de vida (veja aqui: https://lachicavegana.wordpress.com/2013/10/29/entre-matos-e-matas-um-novo-ciclo/) e a minha desconstrução de algumas crenças as pessoas vêm me perguntando: e agora, como você está vivendo?! …

E eu me perguntando a cada pergunta: mas, como assim como estou vivendo?!

Esta semana estou pelo Rio e conversando e encontrando amigos lindos que fiz por esses anos de Rio de Janeiro notei que há uma preocupação comum e universal: da onde você está tirando dinheiro para continuar fazendo as mesmas coisas que antes?!

Resolvi fazer este post, para que o meu estilo de vida se torne cada vez mais palpável para as pessoas que estão buscando alguma transformação. Não só pela relação com o dinheiro em si ou a quebra dela, mas pela busca de fazer o que gosta e o que realmente acredita pra vida.

Primeiro ponto: não estou fazendo as mesmas coisas que antes, mas sim continuo viajando do mesmo jeito.

A minha relação com o dinheiro mudou da água pro vinho. Hoje acredito que não preciso dele pra ser feliz e os zeros que antes entravam na minha conta todo início do mês não faziam mais sentido nenhum comigo, com minha felicidade e com as coisas que eu acredito. Não preciso mais provar pra sociedade que eu preciso ser muito boa no que eu me proponho a fazer e nem preciso trabalhar com o que eu não gosto pra poder fazer em apenas um mês o que eu mais amo na vida que é viajar.

Esse processo começou há algum tempo atrás…

Sempre acreditei que precisava ser foda  boa na minha profissão, que tinha que ter UMA profissão, ganhar muito dinheiro, pra com esse dinheiro comprar minha casa, viajar, comprar meu carro,comprar, comprar e comprar….ah!! e juntar (pra quê? té hoje não sei).

Com o veganismo, o surf e a busca espiritual o dinheiro passou a ter segundo plano na minha vida e começou a minha desconstrução em relação ao ter, ter, ter pra conseguir ser alguém na vida.

Neste ano, decidi criar coragem pra seguir meu coração. E desde o dia que decidi isso, o universo vem sorrindo pra mim (não que ele não sorrisse, mas passou a sorrir muito mais rsrs). Não me falta dinheiro, pois não preciso de muito pra me alimentar, nem pra usufruir da natureza e muito menos pra viajar. Não consumo mais como consumia antes e cada vez que preciso sei que posso fazer mil coisas, pois descobri que sei trabalhar com tudo e, se não souber, aprendo rapidinho.

Aprendi que a relação da vida, são as trocas. E que é a coisa mais rica que levamos desta passagem na terra. As trocas que fazemos com as pessoas são baseadas nas trocas de tudo, e não só do dinheiro. Antigamente isso era conhecido como escambo e é basicamente a base do escambo que vivemos hoje. O que tem na minha terra posso levar pros outros e trocar com o que tem na terra deles. Pego uma carona aqui e outra ali pra me locomover pra lugares mais longe, posso andar a pé ou de bike, posso pedir um prato de comida ou de água que as pessoas vão dar.

O meu trabalho pode pagar um prato de comida, uma moradia, uma viagem, uma troca de conhecimento….e para minha vida, não preciso de muito mais. Não quero um carro do ano, um apartamento, um, um, um….quero só viver e ser livre. Livre dos meus pensamentos, dos meus pré conceitos, dos meus medos e de uma segurança doentia que faz todo mundo adoecer.

Descobri que quanto maior as ilusões/expectativa que eu deposito nas relações e no futuro maior são as minhas frustrações. Então, hoje, aprendi a viver o aqui e o agora, o estar aqui e neste momento. Viver essa vida linda, sem me preocupar em acumular, em guardar, em comprar.

Pessoas passam a vida guardando dinheiro ou pagando um plano de saúde para se curar de doenças ou quando elas precisarem pra comprar alguma coisa e há algum tempo. Ficou tão claro pra mim que a cura de qualquer doença está na alimentação, na vida tranquila, no contato com a natureza, nos prazeres das relações humanas e com os animais.

O problema está nas cobranças, nos medos, e no desamor que aprendemos a ter para com a vida e assim, é praticamente impossível não se apegar ao dinheiro pra ele te dar uma “segurança”. E é nessa busca pelo dinheiro/segurança que estão as maiores brigas familiares, e todas as desavenças da humanidade. Decidi simplesmente não fazer parte delas.

E entendo, quando as pessoas me dizem: eu não ia conseguir viver assim. É bem verdade, você precisa acreditar muito no seu coração e na lei da atração para poder seguir sem medo.

Descobri que posso trabalhar na horta, lixando madeira, fazendo comida (vegana), pintando, montando um móvel, ajudando pessoas, fazendo massagem, dando aula de bodyboarding, dando aula de espanhol, organizando agendas pessoais, carregando peso, ouvindo pessoas, lavando louça, lavando casas, cuidando de crianças…descobri que tenho mil profissões e que posso escolher a que mais vai me fazer feliz e realizada.

Descobri que a minha vida é bem mais leve quando acredito que a vida é hoje e agora. Descobri que não preciso corresponder as expectativas da minha família pra ser feliz.

Descobri que eu mesma sou responsável pela minha felicidade e que ela depende só de mim.

Aprendi que a coisa mais rica é seguir o seu coração, mas pra isso o coração tem que estar leve. Sem medo, sem expectativas e só ter amor. Aprender amar, também é algo engrandecedor. Ainda estou no aprendizado.

Gratidão à vida, por te me feito enxergar tudo isso ainda jovem.

77510_10151086485486691_538055309_o

964936_10151679408861691_592699871_o

 

 

 

 

 

 

 

2 comentários Adicione o seu

  1. Halanne disse:

    Linda!!!!!!!!!! …………..

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s